Início » Artigos, Capa

Neurocientista da Harvard: Meditação não apenas reduz estresse, aqui está como ela muda o seu cérebro

Postado por em 17 de June de 2015 – 3:23 PM47 Comentários

Texto original Brigid Schulte (disponível aqui)

Tradução JoAnn Schaly

Sara Lazar – PhD Harvard

Sara Lazar, neurocientista do Hospital Geral de Massachusetts e da Escola de Medicina de Harvard, foi uma das primeiras cientistas a aceitar as subjetivas reinvindicações a respeito dos benefícios da meditação e atenção plena e a testa-los com o uso de tomógrafos computadorizados. O que ela encontrou a surpreendeu – que a meditação pode, literalmente, mudar seu cérebro. Ela explica:

 P: Porque você começou a prestar atenção para a meditação, atenção plena e o cérebro?

Lazar: Eu e uma amiga estávamos treinando para a maratona de Boston. Tive algumas lesões por esforço e procurei um fisioterapeuta, que me disse para parar de correr e apenas fazer alongamentos. Então comecei a praticar ioga como forma de fisioterapia. Percebi que era muito poderoso, que eu tinha benefícios reais, então fiquei interessada em saber como funcionava.

A professora de ioga usou de vários argumentos, dizendo que a ioga iria aumentar a compaixão e abrir o coração. E eu pensei: “ok,ok,ok, estou aqui para alongar”. Mas comecei a perceber que eu estava mais calma. Estava mais apta a lidar com situações mais difíceis. Estava mais compassiva e com o coração mais aberto, e capaz de ver as coisas pelo ponto de vista dos outros.

 

Pensei, talvez fosse apenas uma resposta placebo. Mas então fiz uma pesquisa bibliográfica da ciência, e vi evidências de que a meditação havia sido associada à diminuição do estresse, da depressão, ansiedade, dor e insônia, e ao aumento da qualidade de vida.

A essa altura, estava fazendo meu PhD em biologia molecular. Então simplesmente resolvi mudar e comecei a fazer essa pesquisa como um pós- doutorado.

P: Como você fez essa pesquisa?

Lazar: O Primeiro estudo avaliou meditadores de longa data versus um grupo controle. Descobrimos que os meditadores de longa data tem a massa cinzenta aumentada na região da ínsula e regiões sensoriais do córtex auditivo e o sensorial. O que faz sentido. Quando você tem atenção plena, você está prestando atenção à sua respiração, aos sons, a experiência do momento presente, e fechando as portas da cognição. É lógico que seus sentidos sejam ampliados.

Também descobrimos que eles tem mais massa cinzenta no córtex frontal, o que é associado à memória de trabalho e a tomada de decisões administrativas.

Já está provado que nosso córtex encolhe à medida que envelhecemos – se torna mais difícil entender as coisas e se lembrar das coisas. Mas nessa região do córtex pré-frontal, meditadores com 50 anos de idade tinham a mesma quantidade de massa cinzenta que pessoas de 25 anos.

Então a primeira pergunta foi, bem, talvez as pessoas com mais massa cinzenta no estudo já tivessem mais massa cinzenta antes de terem começado a meditar. Então fizemos um segundo estudo.

Pegamos pessoas que nunca tinham meditado antes, e colocamos um grupo deles em um programa de oito semanas de atenção plena com foco na redução de estresse.

P: O que você descobriu?

Lazar: Descobrimos diferenças no volume do cérebro depois de oito semanas em cinco regiões diferentes dos cérebros dos dois grupos. No grupo que aprendeu meditação, encontramos um aumento do volume em quatro regiões:

  1. A diferença principal encontramos no giro cingulado posterior, o qual está relacionado às lembranças e auto- regulação.
  2. O hipocampo da esquerda, o qual dá suporte ao aprendizado, cognição, memória e regulação emocional.
  3. A junção temporoparietal, ou JTP, à qual está associada a tomada de decisões, empatia e compaixão.
  4. Uma área do tronco do cérebro chamada de Ponte, onde muitos neurotransmissores reguladores são produzidos.

A amigdala, a parte do cérebro responsável pelo instinto de ataque ou fuga, e que é importante nos aspectos da ansiedade, medo e estresse em geral. Essa área ficou menor no grupo que participou do programa de oito semanas de atenção plena com foco na redução de estresse.

A alteração na amigdala também foi associada a uma redução nos níveis de estresse.

P: Então por quanto tempo alguém precisa meditar até que comece a ver mudanças no seu cérebro?

Lazar: Nossos dados mostram mudanças no cérebro após apenas oito semanas.

Em um programa de atenção plena com foco na redução de estresse, nossos pesquisados participaram de uma aula por semana. Eles receberam uma gravação e foram solicitados a praticar por 40 minutos por dia em casa. E foi assim.

P: Então, 40 minutos por dia?

Lazar: Bem, foi altamente variável no estudo. Algumas pessoas praticaram 40 minutos todos os dias. Algumas praticaram menos. Algumas apenas umas duas vezes na semana.

No meu estudo, a média foi de 27 minutos por dia. Ou em torno de meia hora por dia.

Ainda não existem dados suficientes sobre quanto alguém precise praticar para se beneficiar.

Professores de meditação lhe dirão, apesar de não existir absolutamente nenhuma base científica para isso, que comentários de estudantes sugerem que 10 minutos por dia podem trazer benefícios subjetivos. Ainda precisamos testar.

Nós estamos apenas começando um estudo que, com grande esperança, nos permitirá acessar quais são os significados funcionais dessas mudanças. Estudos de outros cientistas mostraram que a meditação pode melhorar a atenção e a habilidade de regular a emoção. Mas a maioria dos estudos não foi com neuroimagens. Então agora estamos esperançosos em trazer o aspecto comportamental e a ciência da neuroimagem para trabalharem juntos.

Q: A partir do que já sabemos da ciência, o que você encorajaria os leitores a fazer?

Lazar: Atenção plena é similar a um exercício. É uma forma de exercício mental, na realidade. E assim como o exercício melhora a saúde, nos ajuda a administrar melhor o estresse  e promove longevidade, a meditação se propõe a partilhar alguns desses mesmos benefícios.

Mas, assim como o exercício, não pode curar tudo. Então, a ideia é de ser útil como uma terapia de apoio. Não é uma coisa em separado. Já foi usado com muitos outros distúrbios e os resultados variam tremendamente – impactam alguns sintomas, mas não todos.  Os resultados são às vezes modestos. E não funciona para todos.

Ainda está muito cedo para se tentar concluir o que a meditação pode ou não fazer.

P: Então, sabendo-se das limitações, o que você sugeriria?

Lazar: Parece sim ser benéfico para a maioria das pessoas. A coisa mais importante, se você for tentar fazer, é encontrar um bom professor. Porque é simples, mas também é complexo. Você precisa entender o que está acontecendo na sua mente. Um bom professor não tem preço.

P: Você medita? E você tem um professor?

Lazar: Sim e sim.

P: Que diferença fez em sua vida?

Lazar: Tenho feito isso por 20 anos, então tem uma influência profunda em minha vida. Dá muito “chão” (ancoragem). Reduz o estresse.  Me ajuda a pensar mais claramente. É maravilhoso para interações interpessoais. Tenho mais empatia e compaixão pelas pessoas.

P: Qual a sua prática pessoal?

Lazar: Altamente variável. Alguns dias pratico 40 minutos. Alguns dias cinco minutos.  Alguns dias não pratico nada. É muito parecido com exercício. Exercitar-se  três vezes por semana é maravilhoso. Mas se tudo o que você pode fazer é se exercitar um pouquinho todos os dias, isso também é uma coisa boa. Tenho certeza de que se praticasse mais me beneficiaria mais. Não tenho ideia se estou tendo mudanças no meu cérebro ou não.  E é isso que funciona para mim nesse momento.

 

 .

47 comentários »

  • Ana Ricl disse:

    Excelente artigo! Que a ciencia avance em aprofundar….e os meditadores, tambem!

  • gloria moreira disse:

    Minha experiência com a YOGA
    Há 6 anos atrás ,com a saúde mental e física toda comprometida, principalmente as articulações , coluna, encefalites,estressada por muitos anos de trabalho duro, procurei a YOGA como último recurso,à cada dia , me renovo, voltei na minha saúde e alegria de 30 anos atrás , aprendi a me amar, a me respeitar como indivíduo importante na cadeia Universal, me cuido e SOU FELIZ !!!

  • Marcia Silveira disse:

    Muitissimo interessante. Adorei

  • Maria de Lourdes Melo disse:

    O Dalai Lama e o Monge Mathieu Ricard fazem esta pesquisa ha muito tempo e comprovam a mesma coisa . Também Daniel Golemam estuda o efeito da meditação sobre o cérebro .

  • Maria Correa disse:

    Amei este artigo,tambem pratico meditação.Pratico a pouco tempo e me sinto muito bem.Gostaria de saber mais sobre meditação.

  • ana maria lameira disse:

    Adorei, já li muito sobre meditação, ainda não pratico, mas vou começar…até mesmo por que acredito que praticando conseguirei outras coisas como parar de comer doces e praticar exercícios fisicos. A reportagem explanou muito bem.

  • Angela Reis disse:

    OBRIADA PELOS ESCLARECIMENOS.
    ABRAÇOS.
    ANGELA REIS

  • Arpan Alvim disse:

    Medito a vinte anos e indico a todos comecem no começo não concentrava nem cinco minutos hoje medito até quatro horas seguidas e posso afirmar é a melhor sensação que vc pode sentir na vida , meu Mestre é o Grande Guru Paramahansa Yogananda . Pesquise na Internet sobre ele Namastê !!!

  • Rosane disse:

    Maravilhoso, na SEICHO-NO-IE temos a prática da meditação SHINSOKAN.

  • Suzana j L Moraes disse:

    Indicação de um professor de meditação em Sao Paulo capital.

  • mari rigaud disse:

    Mesmo sem fazer meditação assídua, sinto grandes diferença de comportamento, principalmente na ansiedade. Estarei apanhando os estudos.

  • IVONE BERNARDES DE SOUZA disse:

    ADOREI A REPORTAGEM.SEMPRE ME INTERESSEI PELA MEDITAÇÃO COM LEITURAS, MAS INFELIZMENTE AQUI NA CIDADE ONDE MORO NÃO EXISTE PROFESSOR, NEM YOGA.GOSTARIA DE SABER ONDE CONSIGO ESSA GRAVAÇÃO QUE FOI DADA AOS PESQUISADOS PARA QUE OUVISSEM DURANTE 40 MIN.OBRIGADA

  • Gil Mesquitta disse:

    Muito boa pesquisa, meditação cura e está sendo comprovado . Bom para aqueles que ainda tem dúvidas.

  • carlos viana disse:

    Praticava antes de ter “Dor crônica neuropática” pós cirurgia de herniorrafia e a meditação tem ajudado a superar crises de dor, ansiedade, depressão… realmente mantem meu equilíbrio.

  • Moritoshi Hiramine disse:

    Muito obrigado por essa descoberta grandiosa!
    Divulguemos!

  • Luiz Gomzaga disse:

    É ótimo qdo encontramos a ciência “objetiva” em acordo com a chamada “subjetividade”. Fico feliz pq isto deixa uma esperança de que um dia “tudo” será aceito sem tanta controvérsia…
    Já pratiquei meditação, mas foi pouco. Gostaria de voltar a praticar, e praticar muito mais…

  • Tiago disse:

    A meditação traz muito mais benefícios do que esses, é um caminho nobre espiritual. De transformação profunda da consciência.

    a saber: http://www.dhamma.org

    Que todos sejam felizes!

  • Virgínia Pindula disse:

    Excelente artigo
    Adorei e Gostaria de praticar a meditação pois já ultrapassei os 60 anos de idade e já estou a começar a ter pequenas falhas de memória .

  • Hélade disse:

    Meditação nas escolas já!

  • MARCIO disse:

    Meditar funciona!Medito há apenas 3 meses durante 10 minutos e sinto a diferença!!

  • Rogerio De M. Barros disse:

    Excelente artigo! Obrigado por divulgar Carolina. Cientistas meditadores! O novo homem nasceu!

  • Celia Mendes disse:

    Sou médica psiquiatra e tenho utilizado a meditação na minha prática clínica com dependência química e o resultado é surpreendente. Indico para todos os meus pacientes sempre!!!

  • Suzete Aparecida Bomfá disse:

    Pratico yoga a 25 anos e faço meditação em todas as aulas por um tempo de 15 minutos, e indico que é a melhor sensação que um ser humano pode sentir.
    Tudo depende de começar e certificar-se dos benefícios.

  • Paulo Meireles disse:

    Pratico meditação há vinte anos , comecei com dez minutos , que pareciam dez anos pois o tempo não passava , tinha muita dificuldade , a mente inquieta e doía tudo ,
    Hoje consigo meditar até oito horas seguidas e é a coisa que mais gosto de fazer na vida , graças aos ensinamentos do meu iluminado Guru Paramahansa Yogananda considerado o pai da Yoga no ocidente .

  • avelino guedes disse:

    Onde encontrar um bom professor de meditação?

  • aparecida correa porto disse:

    Excelente ideia a de adicionar a meditação ao currículo regular escolar! As crianças e professores centrados ,reduzirão o estresse do dia-a-dia, fornecerão ferramentas adequadas para que as lições recebidas sejam absorvidas e incorporadas à vida dos alunos, de quaisquer idades! Parabéns!!!

  • Judite disse:

    Desde 1995 que eu medito e afirmo que percebo a cada instante o reflexo positivo nas minhas atitudes, comportamento e no corpo físico. Todos devem vivenciar a prática da meditação e desfrutar de algo que só nos faz bem!

  • Hildaisa disse:

    Matéria super interessante…
    Meditar nos faz sentir mais leve…
    Nos proporciona bem-estar …
    E em orações nos colocamos mais com a parte espiritual.
    Parabéns!

  • Carolina Senna (autor) disse:

    Olá, Avelino! O CEBB – Centro de Estudos Budistas Bodisatva – tem um programa regular para que deseja aprender a meditar. Há vários centros pelo Brasil. Você pode encontrar informações no site: cebb.org.br

  • Carolina Senna (autor) disse:

    Maravilhoso!

  • Mariana Duarte Rocha disse:

    Amei!!!

  • Cirley C Azevedo disse:

    A meditação, não só deveria ser adicionada nas escolas, como tambem nas firmas para melhor desenvolvimento e satisfação no trabalho de seus funcionários.

  • Odila Monteiro disse:

    Adorei o artigo…

    A meditação deveria ser oferecida a todos … com certeza os beneficios são incalculáveis…

    Nos esportes… nas escolas…na vida…

    é entrar num estado meditativo … é trazer a atenção para a respiração (Meditação Chiné, ou shamata) como um hábito… O discurso mental não existiria… a calma estaria sempre presente..

    poderiamos então enxergar as coisas como elas são… não como gostaríamos que fosse…

    QUE TODOS OS SERES SE BENEFICIEM…

  • Alice Pinto disse:

    AFFFF…ATÉ QUE ENFIM ESTAMOS TOMANDO CONSCIÊNCIA DESTA CIÊNCIA MILENAR, QUE SÓ NOS TRAS OS BENEFÍCIOS EM TODOS OS SENTIDOS..
    VAMOS ENFRENTE QUE JÁ SE VAI LONGE DEMAIS, A FALTA DESTE OLHAR, PARA ESTA FERRAMENTA DE TRABALHO QUE NOS AJUDA NO EQUILIBRIO MOTOR, INSTINTIVO, EMOCIONAL, INTELECTUAL, SEXUAL; REGULA O SISTEMA RESPIRATÓRIO, CIRCULATÓRIO, METABOLISMO, GLÂNDULAS DE MODO GERAL, ETC, ETC..
    “VEM VAMOS EMBORA QUE ESPERAR NÃO É SABER, QUEM SABE FAZ A HORA, NÃO ESPERA ACONTECER”
    CORDIAL ABRAÇO, MARAVILHOSO ARTIGO, UM GRANDE COMEÇO..
    FELICITAÇÕES A TODOS NÓS, MULTIPLICADORES DESTAS ATIVIDADES VITAIS!
    Alice Pinto,

  • Maria de Lourdes disse:

    Maravilhoso!
    É a tendência daqui para frente para as pessoas que quiserem se garantir com boa saúde física e mental.
    Que bom que tem pessoas se dedicando com esses estudos e passando para o mundo esse conhecimento.
    PARABÉNS!

  • Heloisa pesinato disse:

    Adorei reportagem, gosto da meditação fiz curso e supervisão em meditação e dou aulas em meu trabalho.
    Quem se dedica a esse exerçício mental é uma pessoa diferente.
    Mto obrigada,
    Heloisa

  • Cida Medeiros disse:

    Excelente artigo, como terapeuta de abordagem transpessoal, a Meditação é essencial e faz um imensa diferença.Excelente artigo.

  • Eneida Sobral Fernandes disse:

    Gostei muito da reportagem, sou terapeuta holística e ergonomista e trabalho com meditação, com adultos, idosos e até com criança.
    É muito importante divulgar os resultados para que as pessoas participem mais de ações terapêuticas, que possam fazer em qualquer lugar, o tempo que quiser, como quiser, é simples e tem resultados rápidos e eficazes.!
    Parabéns!

  • Luzelena Vieira de andrade disse:

    Maravilhoso artigo,ainda não medito mas faço yoga há um ano e meio,e sempre quis saber como meditar,oque pensar ou não pensar,mas até hoje não sei como fazer,mas vou procurar com mais atenção como fazê-la.Namastê.

  • alexandre disse:

    meditar é um exercício diário, tem dias que vai ser óitmo, tem dias que nem tanto… mas a constância é o que importa; estou estudando muito isso e o mais importante, praticando.

  • Flávia disse:

    Adorei a reportagem, prático yoga e faço meditação, realmente trás bons benefícios, principalmente para quem é ansioso. Recomendo muito. Abraços.

  • Lene Cardoso disse:

    Realmente Meditar é a melhor maneira de acalmar
    td o que não vai bem com vc e seu entorno.Vc começa
    a ver td com mais calma e apreciar td o que vc faz e
    o que os outros fazem, pois nós formamos o conjunto
    de seres aqui e por isso devemos aprender com a
    Meditação a Compaixão quanto é imporante nas
    nossas vidas.
    O Budismo me ensinou a Meditar, e agradeço a tds
    os Gurus por terem me dado estas liçoēs de Amor
    por meio da Meditação.
    Que tds os seres sejam beneficiados.
    Namaste♡♡♡

  • Marlene disse:

    Por acaso e dou graças Hoje sou profe de yoga e pratico meditação sinto como evolui corpo mente espírito! Namaste”!

  • Tereza Cristina disse:

    Gostei muito de saber que avanços a neurociência pode chegar! O ser humano acaba encontrando caminhos bem próximos para um viver melhor. Mas creio mesmo que nosso professor Maior, já nos deu tais orientações. Muitos é que preferem ainda não segui lá.

  • Martha de lourdes dias batista disse:

    Sempre acreditei e associei a psicanálise com meditação!

  • Noraí disse:

    Maravilhoso tomar conhecimento de estudos tão avançados sobre meditação. A meditação auxiliou- me no enfrentamento de situações difíceis com mais clareza e serenidade. Recomendo sempre, não importa o tempo de duração.

  • Laudicéia Nascimento disse:

    O Fundador da doutrina religiosa Seicho-No-Ie desde 1930, ano de sua fundação, deixou em centenas de livros o quanto a prática da meditação é benéfica para todas as pessoas.
    É o encontro da ciência com a religião.
    Melhor que saber é praticar.

Deixe seu comentário!

Esse site usa o sistema Gravatar. Para que sua foto apareça, basta se cadastrar.

UA-32713989-1